Dia desses me veio o chamado para fazer um desafio que pedisse envolvimento, tanto meu quanto das Almas que me acompanham nas redes sociais.

Sabemos que o mundo anda cheio de desafios – e que desafios! E no Brasil os desafios não tem sido muito menores. Sei que nós, brasileiros, somos um povo que ama as Redes Sociais e sei, também, o quanto as redes sociais podem ser uma faca de dois gumes: elas podem ser veículo de extrema Luz, ao nos possibilitar aprender, ensinar, ajudar, entrar em contato, obter informação, e compartilhar mensagens positivas, auxiliando na elevação da consciência coletiva. Ao mesmo tempo elas podem, também, ser veículo de escuridão, difamando, ofendendo, machucando, espalhando mensagens de medo, ódio, preconceito e ameaças.

Eu –  como acredito que a maior parte de vocês também –  uso as Redes Sociais para compartilhar e receber Luz. Vejo as Redes Sociais como uma verdadeira benção, porque elas nos possibilitam não apenas entrar em contato com familiares e amigos que moram longe, como também a chance de conhecer pessoas que, de outra forma, talvez nunca encontrássemos. Porém, manter-me como uma consumidora – ou receptora – do que as Redes têm de melhor tem sua porção de desafio.

Dê uma olhada no seu feed de notícias do Facebook, Instagram ou Twitter. Dê uma olhada em quantas notícias nada bacanas e postagens que trazem reclamação, crítica, raiva, vitimismo, etc você verá por lá. Veja bem, quem posta esse tipo de conteúdo acredita, em sua consciência, que está fazendo algum tipo de bem. Outras pessoas também usam as Redes Sociais como local para desabafo (elas aparentemente se esquecem de que existe um sem número de pessoas lendo o que elas escrevem, as vezes tenho a impressão de que as pessoas acham que, ao postar certas coisas nas Redes Sociais estão, na verdade, apenas escrevendo no seu Diário pessoal que guardam na privacidade do seu quarto). Mas a verdade é que as Redes não trazem essa privacidade. E as vezes achamos que só quem comentou ou curtiu a postagem leu o que escrevemos, mas não é assim: as pessoas leem, muitas vezes apenas julgam, mas não deixam nenhuma mensagem. Outras vezes as postagens levam um conteúdo que, ao invés de colaborar e elevar, apenas contaminam. Somos Um e nossas ações (assim como pensamentos) afetam aos outros e ao ambiente, tanto do lado positivo quanto do negativo.

Além disso estamos dentro do período de Omer, que são dias desafiadores em que atuaremos de forma proativa com o objetivo de realmente merecermos a Luz que recebemos na conexão de Pessach. Assim, estas mensagens diárias nos ajudarão a manter nossa vibração elevada e nos ajudarão a nos lembrarmos de que o desafio existe para que possamos enfrenta-lo com consciência e – por que não? – felicidade pela oportunidade de auto lapidação e e revelação de Luz.

Tendo em mente este quadro, senti que o movimento dos #57diasdeconsciencia seria uma oportunidade única e muito proveitosa de colaborarmos com a elevação da consciência e a positividade da nossa comunidade que faz parte das nossas Redes Sociais. Do meu jeito como acontece com os “desabafos” que citei anteriormente, quando compartilhamos algo bacana e inspirador, muitas pessoas não comentam e não curtem, mas tiram proveito dessa energia positiva – e isso é o que interessa.

Por que a aderir a este movimento?

A bem da verdade, tudo está conectado, não existe aquela separação que muitas vezes achamos que existe, de vida real x vida virtual. Nada disso: energia é energia e, como já sabemos, energia é tudo que há. A verdade é que a Internet possui um poder imenso de distribuição de informação e, com ela, de energia. Que energia você quer distribuir?

Minha intenção por trás desta proposta é começar algo que, eu sei, ainda tomará uma proporção maior do que imaginamos, maior do que nós mesmos, maior do que nossos sonhos. Minha intenção é fortalecer nossa Comunidade de Consciência através da distribuição de mensagens de elevação da consciência. Quando alguém clicar na hashtag #57diasdeconsciencia no Instagram, no Facebook e no YouTube verá quem nós somos, verá que temos rosto, que somos de Verdade, verá que existe uma comunidade que busca compartilhar Luz, e que talvez essa seja a Tribo para a qual esse alguém deseja entrar. 

Com os #57diasdeconsciencia resolvi dar um passo adiante e, além de convidar aqueles que fazem parte da Comunidade de Consciência que se formou ao redor das minhas Redes Sociais ao longo dos anos para compartilharem todos os vídeos que publicarei diariamente, também os convidei a criarem seus próprios vídeos, textos, frases, imagens, fotos ou trechos de livros que podem mudar o dia de alguém. Já que podemos optar entre compartilhar Luz, compartilhar Luz e seguir neutro, nem preciso dizer: escolha sempre compartilhar Luz

 

Quando você receber algo que tenha mudado sua vida, quer seja um livro, vídeo ou pensamento; quer seja um conselho ou o conhecimento de uma nova sabedoria, não perca tempo: compartilhe imediatamente com os demais. Esta atitude não apenas canaliza mais Luz para a Terra, como te prepara para ser não apenas canal como também receptor de ainda mais Luz na sua Vida. E quando esse tipo de ação acontece em conjunto, como estou propondo com os #57diasdeconsciencia , a Luz revelada é ainda maior, tanto na vida dos participantes quanto na vida daqueles que nos cercam e, em última análise, no mundo. 

 

Como vai funcionar?

Ao longo de 57 dias, começando no dia 1 de Maio de 2017 até o dia 26 de Junho de 2017 postarei 1 vídeo por dia, todos os dias, às 8h da manhã no meu canal no YouTube (clique AQUI e inscreva-se) e na minha FanPage no Facebook (clique AQUI e inscreva-se).

 

Como você pode participar?

Você pode participar compartilhando os meus vídeos nas suas Redes Sociais para chamar mais pessoas para esse movimento de desenvolvimento de consciência. Você também pode criar e compartilhar seus próprios vídeos ou textos, frases, imagens, fotos, trechos de livros, etc, que auxiliem na elevação da consciência, usando a hashtag #57diasdecosnciencia e também #rachelnewman e #transformesuavida para que eu e todos que estão participando deste mutirão possamos, não apenas nos inspirar com suas mensagens, como para que possamos ter um verdadeiro registro do que foram estes 57 dias que, eu tenho Certeza Absoluta, vão mudar as nossas vidas e daqueles à nossa volta.

 

Por que 57 dias?

Meu Nome de Deus na Kabbalah é o de número 57: Escute a Sua Alma. E foi isso que fiz para lançar esse desafio/movimento: escutei a minha Alma e aqui estou. E se você escutar da sua Alma o chamado para vir de mãos dadas comigo nessa aventura de 57 dias, saiba que meu coração já se abre em gratidão à você, Alma querida. Eu Sou Você, Você É Eu.

Somos Um! Vamos juntas e juntas somos mais fortes!

Gratidão, com Amor,